Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Conheça a Política de Cookies.
Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

  • '
    '

    Acpp

    Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal

  • '
    '

    Desde 1977

    Representa os Profissionais Portugueses de Cozinha e Pastelaria

  • '
    '

    Formação Profissional Certificada

    Escola Cozinha e Pastelaria

PRATOS TÍPICOS DA REGIÃO DE BRAGANÇA
BELARMINO AFONSO

Este prato feito de farinha triga fina é comum a todo o concelho de Vinhais e parte do de Bragança. Noutras aldeias do distrito é totalmente desconhecido.

O prato que vou descrever é um alimento de gente pobre, substituto do arroz e da massa. As gentes do concelho de Vinhais e Bragança não possuíam reservas suficientes para comprar o arroz e a massa. Como substituto vantajoso encontraram a farinha triga da sua tulha.
Eis, as fases, da preparação dos cuscos, que se fazem nesta época – Outono – para todo o ano. Algumas famílias chegavam a transformar em cuscos um saco de farinha.

1 – Com um ramo de loureiro, salpica-se a farinha com água.
2 – Torce-se a massa assim salpicada, com as palmas das mãos, sobre a masseira, até ficar aos grãos.
3 – Coloca-se a farinha assim granulada num pano de linho lavado.
4 – Este pano mete-se dentro da cuscuzeira, espécie de recipiente cónico truncado, cheio de orifícios no fundo.
5 – Põe-se a cuscuzeira na boca da tradicional panela de três pés. Com a própria massa da farinha barra-se o ponto de junção da cuscuzeira e da panela.
6 – O vapor da água que sai de dentro da panela entra pelos orifícios do fundo da cuscuzeira e vai cozer os grãos de farinha (cuscos). A cozedura deve demorar cerca de uma hora.
7 – Depois de cozida a massa, desembrulha-se o pano. A massa descoberta fica numa espécie de torrão.
8 – Este torrão vai de novo à masseira. Com leves toques da mão, desfaz-se o torrão.

Pode comer-se já, pois é muito saboroso. O dia de fazer os cuscos é uma festa para a parentela. Por isso, o primeiro torrão não chega para saciar o apetite devorador da pequenada.
A reserva de cuscos vai dar para todo o ano. Guardam-se num saco lavado ou saquinhas feitas de retalhos de pano diferente, pela dona da casa, depois de bem secos.
É interessante, antes de concluir, fazer uma referência ao material de que a cuscuzeira é feita. Pode ser de barro. Também se aproveita, em casa de famílias pobres, a parte inferior de um cântaro de lata, furado com muitos orifícios na base. Quando a família tem mais posses, manda fazer uma cuscuzeira de cobre.

 

MLM

Tagged Under

Visitantes

Temos 106 visitantes e 0 membros em linha

Morada

Morada: Rua de Sant`Ana à Lapa,
nº 71 C, 1200 - 798 Lisboa.
Telefone: +351 21 362 27 05
Fax: +351 21 362 58 15

Mail / Sites

Geral: acpp@acpp.pt 
Formação: formacao@acpp.pt  
Marketing: marketing@acpp.pt
Site: http://www.acpp.pt
Formação: http://www.acpp.com.pt